Zoológico: Bom ou Ruim para o Animais? (Parte 2)

Zoológico: Bom ou Ruim para o Animais? (Parte 2)

Continuando o debate, colocamos alguns dados em pauta:

  • Zoológicos possuem 15% das espécies ameaçadas de extinção, sendo 20% a 25% de aves e mamíferos e apenas 3% de anfíbios, segundo o Sistema Internacional de Identificação de Espécies
  • Cerca de US$ 350 milhões são doados por zoológicos ligados à Associação Mundial de Zoos e Aquários (Waza) para a conservação de animais em habitat natural

mico

  • O Mico-Leão-Dourado teve grande aumento de reprodução e o Bisão-Americano ameaçado de extinção, agora pode ser reintroduzida à natureza por causa dos cuidados em zoos
  • 41% dos anfíbios são altamente ameaçados em seu ambiente natural

Araras no zoo

Porém…

  • Diversos casos de morte com suspeita de envenenamento e contaminação (num período de 10 anos houveram pelo menos 2 mil em território brasileiro) não foram solucionados ou com punição efetiva imposta
  • Publicação de 31/03/2016 feita pelo G1 informa que em Zoológico de Santa Catarina, houve índice de mortalidade superior a 75% dos animais por motivos de desnutrição, hipotermia e ataque de roedores, segundo o Ibama. Embora tenha sido punido (60 mil reais), é questionável se tal número de mortes não poderia ter sido evitado com fiscalização frequente.

Legislação: Lei nº 7.173, de 14 de dezembro de 1983 – Presidência da República

Harambe

Harambe

Esta semana a notícia mais comentada do mundo animal foi sobre um menino de 4 anos que caiu na jaula de um gorila chamado Harambe, recém-aniversariante com 17 anos de idade. Salvo após um tiro de rifle abater o primata de origem ocidental, pesquisadores dizem ter a impressão do animal estar confuso, e apesar da situação delicada, poderiam resolvido com a aproximação de alguém a quem o símio tivesse o hábito de conviver, trazendo alimentos com tranquilizantes ao invés de levar à óbito um representante de espécie ameaçada de extinção. Outro motivo causador de comoção é o conhecido comportamento dócil que lhe rendeu o apelido de “o gigante gentil”. O Jardim Zoológico americano estava preparado adequadamente para lidar com a situação?

Animais Dopados

dopado

Recentemente, vídeos mostram animais selvagens aparentemente sedados no Zoológico de Buenos Aires, Argentina. A popularidade do parque deve-se ao contato direto que o visitante pode ter com os grandes felinos, principalmente para tirar fotos. Um leão pode dormir até 18 horas e este é um argumento levantado a favor do zoológico, além de declarações sobre possível treinamento para a docilidade com os visitantes, porém a excessiva sonolência mostrada em diversas imagens é de deixar o espectador perplexo quanto a isso.

Santuários

Há muitos defensores de um novo método de proteger os animais, chamado Santuário. Estes locais assemelham-se ao máximo ao habitat natural, sem expor o animal em público, cobrar ou utiliza-lo para produção. A reintegração à natureza aberta é mais fácil, porém esta iniciativa no Brasil é privada, precisando de doações e voluntariado para manter plenamente.
Alguns exemplos: Santuário das Fadas, Rancho dos Gnomos. Projeto Grandes Primatas, Parque de Proteção aos Jumentos Padre Antônio Vieira, Anjinhos da Rua e Santuário de Elefantes Brasil.

Aqui finalizamos um levantamento sobre o assunto levando a considerar a prioridade de bem-estar e cumprimento de normas para a vida saudável que os animais merecem. Nós humanos podemos ajudar e muito, de diversas formas, então vamos cultivar um relacionamento de amor e carinho com todas as espécies.


Anterior: Zoológico: Bom ou Ruim para os Animais? (Parte 1) Próximo: Gripe pode ser transmitida do dono para o pet?