Festival da Carne Canina na China e Protestos

Festival da Carne Canina na China e Protestos

Mais do que nunca a China têm enfrentado fortes campanhas contra o tradicional Festival de Carne Canina de Yulin, em Pequim, que dura pouco mais de uma semana levando entre 10 a 15 mil cães ao abate, para alimentação.

Apesar da diminuição de restaurantes que fornecem este tipo de carne pelo território chinês, ainda é um hábito concentrado especialmente ao sul do país, onde não há leis que visem proteger animais fora do risco de extinção. Muitos chineses discordam desta prática, ainda mais porque geralmente é incluída violência durante o abate, com a crença de melhorar a qualidade da carne para o consumo e gerar mais virilidade aos homens.

Muitos moradores de Yulin, em contrapartida sentem-se injustiçados, uma vez que a prática de consumo animal é mundialmente comum, tornando espécies como vacas que são sagradas na Índia, por exemplo, em pratos da culinária ocidental. A diferença alegada, é histórica porque era esse o tipo de alimento que antigas gerações tinham acesso. O governo local prefere se distanciar da responsabilidade do evento, atribuindo à iniciativa privada tanto a produção como comercialização durante o evento.

Outro grande problema encontrado é o aumento de roubos de cães abandonados e domésticos, que inclusive podem ser nocivos à saúde, transmitindo doenças pelas quais não foram diagnosticados antes do consumo. Segundo grupos de Defesa dos Direitos dos Animais, é consumido na China uma média de 10 milhões de cachorros e 4 milhões de gatos, com aumento grande quando há divulgação do evento (mesmo quando as imagens divulgadas são extremamente fortes e negativas, pedindo ajuda no combate à esta culinária), pois os maiores consumidores são os turistas curiosos com o prato típico.

Esperança

O ativismo coletivo e individual continua com ações como: chinesa de 65 anos, Yang Xiaoyun que gastou US$ 1.000 na compra de 100 cachorros para impedir seu abate, a Humane Society International (HSI) com petição de 11 milhões de assinaturas em defesa canina enviada ao presidente Xi Jinping, site Change.org com um milhão de assinaturas pedindo cancelamento do Festival, a Ong americana Duo Duo recolheu 2,5 milhões e a hashtag #StopYulin (“Pare Yulin”) de grande força nas redes sociais. A cada ano a mobilização e pressão pública aumenta, tornando as manifestações cada vez mais essenciais para que, um dia, não tenhamos de encarar anualmente situações tão tristes como esta a nossos maiores amigos: os animais.

Abaixo-Assinado: Change.Org e HSI

festival chines

 

Referências de Pesquisa:
BBC, Folha de S.Paulo, IstoÉ

Referência de Imagem:
Festival Chinês


Anterior: Perfil de donos de pet, segundo o IBOPE Próximo: Vinho para Gatos: Novidade para este inverno