Como é feito o treinamento para cães-guia?

O Brasil é o único país da América Latina que trabalha na formação de cães-guia. Mesmo assim, estima-se que sejam cerca de 80 cães, formados aqui, com essa função, para um total de 1,5 milhões de cegos. Ainda é pouco, mas tudo isso tende a mudar com a inauguração do Centro Tecnológico de Formação de Instrutores e Treinadores de Cães-Guia, que fica em Balneário Camboriú, Santa Catarina, e que tem como missão reverter esse quadro.

O treinamento de um cão-guia começa cedo e não é fácil. Aos dois meses de idade, o cãozinho escolhido já começa a conviver com pessoas em diversas ocasiões, situações e lugares para se adaptar a eles. Depois disso, os cães retornam à escola para aprender a ser um cão-guia definitivamente. Esse treinamento dura cinco meses e o treinamento é muito duro, no qual ele aprende uma série de comandos específicos que o dono usará para chegar onde quer.

Somente depois de todo esse treinamento, o cão conhecerá seu novo amigo, que será ajudado por ele. O cego também recebe treinamento durante três a cinco semanas, e aprende sobre o temperamento do cão e todos os comandos que o animal sabe executar. Criar uma amizade entre o cego e o cão também é parte importante do processo de adaptação dos dois. Depois disso, com certeza, uma linda amizade irá começar e se aprofundar rapidamente.

Importante: Ao ver um cego andando na rua acompanhado de seu cão-guia, não mexa com o cãozinho! Eles estão trabalhando e carinhos e brincadeiras os desconcentram. Ao chegar em casa e ter o equipamento retirado das costas, eles sabem que o trabalho acabou e só aí é o momento de brincar.

Estes cães-guia podem ajudar e até salvar a vida de muitas pessoas. Agradecemos muito por existirem!

Fonte das imagens: Corbis Images


Anterior: Para os cães, donos são seus pais Próximo: Raças: German Rex