A história do gato preto

A história do gato preto

Apesar de mais de 9 mil anos de existência, o gato preto ainda é envolto de muitas superstições em toda a sua história. Já foram amados, repudiados e considerados símbolo de azar, de sorte, feitiçaria e bruxaria. Para os donos, o pet é apenas um animal incrível e digno de muita admiração.

A história desse misticismo ao redor do gato preto é bem interessante. Durante a época do Império Romano, apenas os bruxos possuíam gatos pretos e, por isso, para a Igreja Católica, os animais eram mal vistos. Foi nesta época que surgiu o mito de que, se uma pessoa cruzasse com um gato preto, ela teria azar. Além disso, em 1484, durante o período da Inquisição, o Papa Inocêncio 8º chegou a considerar os gatos pretos hereges e mandar os bichanos para fogueira. Mas, por conta de uma infestação de ratos, a medida foi repensada.

Apesar de todo o preconceito com estes felinos, os gatos pretos também já foram admirados como deuses. Há 4 mil anos atrás, no Egito antigo, os bichanos eram considerados a representação viva de Bastet, Deusa da Fertilidade. Foram encontrados mais de 300 mil felinos perfeitamente mumificados.

O contato com os seres humanos e a domesticação começou a acontecer a partir de gatos selvagens africanos, que se aproximavam dos homens, sem medo, para conseguir mais comida e, com isso, melhorar a sua reprodução. Aos poucos, eles foram sendo dissipados pelo mundo.

E esse misticismo em torno dos gatos pretos perdura até hoje. Há quem ainda acredite, por exemplo, que o gato é capaz de prever o futuro. Inclusive, um estudo conduzido pela Universidade de Veterinária de Azabu, no Japão, pesquisa sobre a possibilidade dos gatos preverem o futuro.

São muitos mitos, superstições e “achismos” sobre estes incríveis felinos. Uma coisa é fato: para os donos, os gatos pretos são tudo de bom!

Os melhores produtos para o seu gatinho preto, você encontra no site do Meu Amigo Pet. Confira!!

Fonte: Especial Revista Superinteressante


Anterior: Latidos em excesso Próximo: Cantoria diferenciada